Reflexões sobre Maternidade

quarta-feira, novembro 21, 2012
Um dos trabalhos mais lindos que podemos fazer pelos nossos filhos para sempre é orar por eles. Não só por eles, mas especialmente. Orar é uma atitude solitária, entre a gente e Deus, e um presente invisível que podemos dar as pessoas quando o fazemos em segredo, não para aparecer. Isso é oração sincera, verdadeira, ao nosso Deus poderoso - Pai, Filho e Espírito Santo. Segue um modelo lindo de oração da mãe cristã para você se inspirar a bater um papo com Deus. Deus abençoe nossos filhos e a nós como mães, nesse desafio sublime que recebemos dele!

Reflexões |  Oração da mãe cristã

ORAÇÃO DA MÃE CRISTÃ

(Autor desconhecido)

Deus, ensina-me e ajuda-me...

A respeitar meus filhos e fazer-me digna de seu respeito.
A elogiá-los muito e a censurá-los pouco.
A dar ênfase aos seus sucessos e atenuar suas falhas.
A fazer-lhes unicamente aquelas promessas que eu posso cumprir.
A ter confiança ilimitada em meus filhos, sendo sempre fiel para com eles.
A auxiliá-los na formação e defesa de suas próprias personalidades, evitando sujeitá-las aos meus próprios desejos.
A cuidar do seu físico, da sua mente e do seu espírito.
A mostrar-me alegre e pronta a rir, pois as crianças gostam do riso como gostam do sol.

A ter, para com eles, infinita paciência e condescendência, porque eles tem muito a aprender e eu mesmo não sou muito sábia.
A proteger meus filhos do meu nervosismo, da minha cólera, dos meus defeitos pessoais, do meu pessimismo e dos meus temores.
A auxiliá-los a escolher a carreira para a qual se sintam vocacionados em lugar de queres satisfazer através deles, a minha ambição pessoal.
A dedicar-lhes tempo e esforço de modo a poder ser a sua amiga íntima e interessada.
A preparar meus filhos para que sabiam enfrentar heroica, honesta e independentemente, a vida e o mundo.

A dar-lhes liberdade e a ensinar-lhes como usá-la, de modo que não confundam liberdade e licença.
A mostrar, para com eles, o meu profundo amor.
A cuidar com deles conscienciosamente.
A educá-los com inteligência e afeição, fugindo dos métodos de punições, condenações e terror.
A guiar meus filhos em lugar de conduzi-los.
A dirigir sua energia em lugar de reprimi-la.
A procurar compreendê-los em lugar de julgá-los.
E apesar de todas as falhas, triviais ou sérias, a amá-los decididamente.
Peço-te, ó Deus, em nome do melhor dos filhos - Jesus Cristo. Amém.




Reflexões | Alô, mamãe!


Alô mamãe,

Cá estamos. Vencemos, apesar de ter sido difícil. Como é diferente por aqui! Onde eu estava tudo era escuro, quentinho... Eu me sentia protegido e alimentado. As batidas do seu coração eram minha música predileta. Mas... eu sei que aquele lugar estava ficando apertado demais para mim. Eu quero crescer, crescer para ficar grande como você.

Agora posso ver a luz e algumas cores. Posso ouvir também muitos sons. Às vezes sinto frio, às vezes, calor. Estou conhecendo também o que é fome. Às vezes, fico assustado com tudo isso e preciso chorar. Assim tenho certeza que você vai me ajudar.

É muito bom ficar no seu colo. Nele eu me sinto de novo protegido: posso ouvir seu coração batendo, posso tomar do seu leite morninho e sentir que você e eu continuamos juntos. Eu preciso escutar sua voz, sentir o seu carinho. Nesse momento você é a pessoa mais importante para mim. O mundo é grande demais e eu sou muito pequeno. Ajuda-me a descobrir tudo isso!

Com carinho,

Seu bebê

Fonte: Livreto À mamãe com carinho, Editora Sinodal

❤ 
 
Reflexões | A nave-mãe

A nave é lançada para a exploração do espaço. O ser humano quer conhecer mais sobre si mesmo e o mundo onde vive. Depois de algum tempo de viagem chega a grande hora: ele deve sair da já tão conhecida nave para novas experiências. Cautelosamente sai do ambiente familiar para outro bem diferente - o espaço infinito - onde se sente tão pequeno e inseguro como se fosse apenas um grão de areia. Para sua sobrevivência, precisa estar o tempo todo ligado a sua nave. Ela vai lhe garantir sua saúde física e psicológica - vai lhe alimentar, instruir, proteger, agasalhar... O astronauta sabe que sem a nave irá morrer.

É interessante como a figura do astronauta tem muito a ver com a criança logo após seu nascimento. Para a pequena criatura, o nascimento em si já é um sofrimento. São muitas as mudanças às quais ela precisa se acostumar: as variações da temperatura, a fome, os novos ruídos (e também os barulhos intensos), a luz, sensações táteis. Todas estas novidades vão custar desconforto e, às vezes, medo à criança. Quem tem condições de tirar este desconforto rapidamente é a mãe. Ela é, nesse momento, quem pode trazer de volta aquilo que o bebê já conhece: sua voz, as batidas do seu coração, o calor e a sensação de estar alimentado.

Pensando em todos esses fatores, temos certeza da importância de mãe e filho permanecerem o maior tempo possível juntos depois do parto. O carinho da mãe, seu contato físico, o contato do olhar e a conversa com o bebê logo no início vão desenvolver nele a chamada "confiança básica", importante para sua saúde física e psicológica.

À medida que a dupla - mãe e filho - se conhece, vai se desenvolvendo uma comunicação satisfatória entre eles e isto torna o relacionamento gratificante - as necessidades de ambos passam a ser atendidas.

Lembremos que um bebê seguro e feliz será a base para um adulto equilibrado e feliz.

| Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele. Provérbios 22.6

Fonte: À mamãe com carinho!, Editora Sinodal

 

Nenhum comentário:

© Copyright 2019 | Edeltraut Lüdtke | Proibida reprodução do conteúdo deste blog sem permissão. Tecnologia do Blogger.